Saiba como renegociar suas dívidas
durante a pandemia.

Conheça alguns direitos protegidos por lei
para você e sua empresa.

Se você chegou até aqui é porque talvez exista aí uma vontade de fazer acontecer, certo? De mudar um pouco a sua realidade e ter, de novo nas mãos, o controle da sua vida profissional. Saiba que criar um novo negócio é desafiador, mas não significa que seja impossível ou não recomendado neste momento.

Vamos tocar em um assunto difícil? Dívidas. Sim, precisamos falar sobre elas. Mas saiba que o problema não atinge só você; o efeito cascata da quarentena atingiu muita gente. De acordo com pesquisa feita pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), a partir de março de 2020, mais de 66% das famílias do país ficaram endividadas com cartões de crédito.

Isso significa que o ganho mensal do trabalhador comum reduziu; seus gastos agora estão direcionados para itens de necessidade básica. Consequentemente, o comércio em geral passou a faturar muito menos do que o esperado durante este período de quarentena. E, como todo mundo, os empresários também foram pegos de surpresa – o fluxo de caixa diminuiu drasticamente, deixando atrasadas contas de aluguel, água, luz, fornecedores e insumos.

O momento é de renegociar tudo o que for possível para manter um fluxo de caixa minimamente saudável. De acordo com o consultor tributário Francisco Demolinari, na legislação do Código Civil existe uma previsão de flexibilização quando “o devedor não responde pelos prejuízos resultantes de caso fortuito ou força maior, se expressamente não se houver por eles responsabilizado”. E a Lei da Liberdade Econômica garante a busca por equilíbrio nas negociações de contratos civis e empresariais. Veja com o que você pode negociar prazos e pagamentos:

Contratos de Locação

Acordos de redução de 50% a 70% ou até mesmo solicitação de suspensão da locação, desde que com a devida comprovação da redução do faturamento bruto.

Contratos bancários (inclusive empréstimos)

Suspensão de pagamentos durante o período, com renegociação das dívidas com carência de 90 a 120 dias e alongamento de prazos.

Fornecedores

Negociação para aumento dos prazos de pagamento com carência.

TRIBUTOS

O governo estendeu o prazo de pagamento de alguns tributos, como: Simples Nacional, FGTS, contribuição patronal do INSS, PIS e COFINS.

No entanto, é importante salientar que nem todas as situações são as mesmas e as soluções jurídicas ideais podem variar caso a caso a partir da natureza dos contratos assinados. Busque se informar mais profundamente sobre os seus direitos.

E, para quem não sabe, a Sipag também pode ajudar a melhorar o quadro de dívidas da sua empresa com uma variedade de novos serviços e o suporte necessário a todos os cooperados. Procure uma cooperativa de crédito parceira e conheça as melhores soluções para o seu negócio.

É possível inovar nos negócios
em tempos incertos?

O momento é de muita análise e decisões simples que podem
garantir um maior fôlego para a sua empresa. E as respostas
podem estar com as pessoas que trabalham com você.

Para alguns especialistas em economia, aqueles que observam com cautela as crises e decidem se adaptar são os que têm mais chances de manter suas empresas funcionando. Resistir às incertezas do momento não é o caminho. Então, quais as dicas possíveis para não perder o controle de tudo e começar a promover pequenas mudanças?

Nos próximos meses - talvez no próximo ano - o sucesso do seu negócio pode estar diretamente relacionamento a uma junção de fatores que inclui liderança empática, gerenciamento eficiente de custos, pensamento focado em novos modelos de negócios, mais conectados com as mudanças da sociedade, e muita flexibilidade para mudar as estratégias, já que não existe um cenário futuro concretizado para o mundo pós-pandemia.

Ser um gestor empático significa estar atento à saúde dos seus colaboradores. Esteja a sua empresa voltando ao trabalho presencial ou mantendo o home office, oferecer aconselhamento confidencial e treinamentos focados em desenvolvimento pessoal e profissional são ótimos caminhos para acolher seus funcionários. Lembre-se de que todos, sem exceção, foram afetados pela pandemia de diferentes maneiras, e você, como empregador, depende do bem-estar da sua equipe para a saúde do seu negócio.

Ainda sobre os seus colaboradores, que tal adotar um pensamento de abertura para novas ideias e prototipação dentro da sua empresa? Você pode se surpreender com a disposição das pessoas em propor e criar novos modelos de negócios, processos ou até mesmo produtos e serviços. Muitas empresas pelo mundo têm se inspirado no pensamento das startups de prototipação. Se uma ideia inovadora surge a partir de equipes internas de funcionários, por que não oferecer espaço e incentivo ela seja desenvolvida e testada em pequena escala? Sem prejuízo e sem grandes riscos. Sua empresa pode se reinventar a partir de movimentos internos e enxergar, nos próprios colaboradores, os futuros parceiros de negócios e novas ideias.

É hora de insistir ou recuar
com o seu negócio?

Não existe uma única fórmula secreta para salvar empresas,
mas você pode colocar todos os desafios na ponta do lápis,
observar os sinais do mercado e sempre tomar decisões racionais.
Para ajudar a guiá-lo, levantamos importantes direcionamentos.

Segundo o IBGE, 40% das empresas que fecharam as portas até junho deste ano atribuíram seu encerramento à pandemia. E como vai a sua empresa? É esperado que, em tempos incertos como este, muitos questionamentos sejam feitos, principalmente se você tem um negócio próprio e foi afetado diretamente pelas mudanças do mercado. E pelo bem da sua saúde financeira e mental, encerrar um projeto no momento certo pode ser o melhor passo para salvar o seu futuro.

Para quem não possui grandes reservas de dinheiro, não é o momento para ser ousado e apostar em ideias de alto risco. Mas antes de tomar qualquer decisão, vamos guiá-lo por perguntas importantes que vão ajudar a organizar os pensamentos, entender prioridades e enxergar caminhos possíveis para sair de um projeto ou empresa da maneira menos traumática possível.

Como estão as metas do seu negócio?


Aquele plano de metas criado do início do ano ainda faz sentido neste contexto em que vivemos hoje? Você tem condições de seguir em frente e cumpri-las? Observe seu fluxode caixa. Entenda os créditos e empréstimos que ainda precisam ser quitados. Não foi só o seu segmento que foi afetado. Todo o mercado sofreu alterações e, talvez, você não possa mais contar com antigos fornecedores e parceiros para continuar com sua empreitada.

Existem novas oportunidades?


Depois de dar uma boa olhada para dentro de casa, é hora de olhar para fora e entender se vale a pena ou se é possível adaptar suas ideias, produtos ou serviços para continuar funcionando. Isso implicaria mais investimento? De acordo com especialistas em economia, quando não há uma real possibilidade de guinada no negócio, é melhor não se endividar para seguir um sonho sem embasamento. Lembre-sesempre: questione, pergunte, observe e colete dados para não seguir pelo frágil caminho do “tudo vai dar certo”.

Migrar para o digital e on-line é a solução para você?


Já falamos por aqui como o movimento de digitalização dos negócios foi intensificado pela pandemia. Agora, olhe para o seu negócio e entenda se uma mudança em processos, ferramentas e produtos on-line vão ajudá-lo a sair da crise ou só representam um investimento extra e arriscado. Se, por exemplo, não dá para você vender on-line, talvez seja melhor fechar as portas enquanto ainda há tempo e buscar outras formas de renda.

Você não tem outra forma de renda?


A intenção não é fazer você abandonar seu negócio e ficar “a ver navios”. O importante é entender se você está muito distante de bater as suas metas e se o dinheiro que você tem pode realmente corrigir o que estiver errado. Caso contrário, faça um plano de contingência urgente: enxugue rapidamente os custos, tente reservar uma parcela do seu dinheiro para emergências e busque apoio em outras redes. Amigos e familiares podem ajudar a conectar você a novos empregadores. Profissionais especializados em recolocação são um ótimo caminho neste período também. E redes sociais podem auxiliar tanto na recolocação e oportunidades, como é ocaso do Linkedin, quanto trazer inspirações para novos projetos e negócios como o Instagram.

Resumindo, qualquer ser humano passa a vida inteira tentandoevitar erros. Logo, postergamos decisões difíceis justamente por envolverem frustrações e algum tipo de prejuízo. No entanto, entenda que o planeta enfrenta uma crise de saúde sem precedentes. É hora de repensar inclusive o seu papel como empreendedor e como os negócios poderão servir para asociedade e não somente para a obtenção de lucro. Talvez seja esta a sua grande oportunidade de recuar e renascer no mundo pós-Covid19 com ideias potencialmente prósperas.

A pandemia ainda é uma realidade. Para uma atuação responsável do seu negócio, oriente-se pelas diretrizes da OMS (Organização Mundial de Saúde) e, também, pelos decretos do seu município e estado. Seja um agente consciente da recuperação da economia.

Central de Atendimento Sipag
Capitais: 3004 2013
Demais localidades: 0800 757 1013
Ouvidoria: 0800 646 4001
Deficientes auditivos ou de fala: 0800 940 0458

facebook instagram twitter Linkedin

@sipagbrasil